Prêmio Multishow e a falta de inovação

Assisti dias atrás ao Prêmio Multishow 2014 e reparei nas premiações e em seus indicados, com vencedores como Luan Santana, Thiaguinho (artista da casa) e afins, comprovando a nova vocação do canal, que busca ser popular, atingindo o gosto do chamado “povão”, inclusive nos shows que rolaram na premiação, homenageando os anos 90. Exceção feita à banda Panamericana, que fez uma versão competente de Meninos e Meninas da Legião Urbana, e ao B Negão tocando Funk Até o Caroço (se você não conhece, vá procurar imediatamente, pois é funk antigo do bom, pra ouvir no volume máximo). Foram shows medianos, apesar das reuniões feitas por estilos: rock, pagode, funk, rap, mas com pouca inspiração e com artistas errando a letra das músicas que me deixaram com vergonha alheia, especialmente na homenagem aos Mamonas Assassinas.

Prêmios como esse e o finado VMB perderam totalmente o ar de novidade, de arriscar para conquistar, de fazer o público pensar. Os apresentadores, com a fórmula humorista + repórter/celebridade já se mostra um porto seguro para segurar a audiência durante a premiação. Mas o mais triste é a falta de inovação musical, seja apresentando bandas novas ao vivo ou com artistas consagrados saindo de sua zona de conforto, apresentando músicas novas. Nas premiações do final dos anos 90 e durante a primeira década de 2000 a MTV pedia para as bandas que, ao invés de tocarem seu sua “música de trabalho” atual, tocassem seu próximo single fazendo com isso um pré-lançamento. Isso trazia frescor às apresentações e causava certo desconforto na plateia, que esperava para ver seu artista favorito, mas ele tocava uma música que poucos ouviram. Lembro com carinho de ver O Rappa tocando O Que Sobrou do Céu, Nando Reis tocando Tão Diferente e os Racionais MC’s tocando Capítuo 4, Versículo 3.

As perguntas que ficam são: falta qualidade musical para inovar? É medo de fazer a plateia pensar para digerir a novidade? Ou a gravadora não permite mais novidades, tem que tocar a famosa “música de trabalho” e massificar? Não sei, para mim, um pouco de cada, o que me deixa cada vez mais triste.  Aguardemos as próximas premiações e se o mais do mesmo continuará dominando.

Anúncios

2 comentários sobre “Prêmio Multishow e a falta de inovação

  1. Ou talvez as pessoas simplesmente tenham parado de pensar. Perder tempo demais procurando o que há de novo, tempo demais com conversas sem conteúdo, tempo demais nos celulares e musicalmente estão cada vez mais burras! Os artistas também não proporcionam desafios… Falta interesse!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s